Definir a linguagem tecnicamente pode parecer simples: “É um sistema de signos e combinações que nos permite a comunicação”. Fácil não é?! Ainda bem que não conseguíssemos minimizar o poder que ela tem.

A amplitude da comunicação vai muito além da simples combinação de palavras. Talvez seja por isso que hoje se vê uma crescente procura em melhorarmos nossa habilidade comunicativa. A todo momento estamos cercados por este sistema. Em casa nas pequenas e breves conversas familiares, nas ruas, nas festas, nas escolas, no trabalho e, principalmente, junto ao aparelho que hoje faz parte da nossa vida, os celulares e suas redes sociais.(Diz aí… a comunicação não domina tudo?)

Está bem difícil hoje medir o poder que esta interação realmente alcança. Se você tem uma boa ideia, está bem mais fácil transmitir e viralizar (Olha um neologismo!). Também é possível externar seus pensamentos sobre qualquer coisa que esteja acontecendo quase simultaneamente ao fato, temos aqui o momento orgânico da linguagem. Vejo isso como resultado de estrutura social libertadora, mas esta liberdade não deve ser tratada de forma leviana, pois com palavras o trato dever ser prudente, cuidadoso e inteligente. Como disse José Saramago: “QUEM DE PALAVRAS TEM EXPERIÊNCIA SABE QUE DELAS SE DEVE ESPERAR TUDO!”

Por este motivo, abraçando esta nova possibilidade de me enriquecer com a linguagem e seu dinamismo, quero QUEM DE PALAVRAS TEM EXPERIÊNCIA SABE QUE DELAS SE DEVE ESPERAR TUDO!conversar com você sobre nossa língua e suas riquíssimas nuances. Esta coluna falará sobre a importância do domínio linguístico, mas principalmente tentar desmistificar a ideia de nossa língua é difícil… não concordo! Nossa língua é RICA, recheada de possibilidades e significados, nossa meta deve ser conhecê-la, usá-la, manipulá-la e saber aplicá-la.

Seja bem-vindo a este blog e divida comigo sua paixão pela linguagem!

JACQUELINE SPIES
Professora de Língua Portuguesa

Ajuda ? Fale com a gente